Se você tem conexões no mercado de arquitetura, engenharia ou construção, provavelmente você já ouviu falar em Building Information Modeling (BIM) e compatibilização de projetos. Esse é um conceito muito abrangente que vem ganhando mais espaço no Brasil, mas que ainda existem certas dificuldades em compreensão de alguns pontos.

Softwares BIM: apenas uma parte da metodologia

  Quase sempre, no primeiro contato com BIM, existe a impressão de que se resume a um software que apenas possibilita a compatibilização de diferentes disciplinas e permitem a visualização dos projetos através de renderizações 3D. Certamente, os softwares são um fator crucial dentro da metodologia BIM, porém, são apenas a base tecnológica de um processo disruptivo, caracterizado por uma reforma na gestão de dados da construção.

Benefícios na Construção Civil e alinhamento entre equipes

  A nova forma de gerir a informação, por meio do BIM, é entender e analisar todo o ciclo de vida da construção. Porém, requer novos fluxos de trabalho, baseados na operação entre softwares e altos níveis de colaboração entre equipes capacitadas. Sendo essa a principal barreira a ser vencida em um processo de implantação do BIM. Tendo em vista a análise da construção em diferentes estágios do seu ciclo, se torna necessário alinhar e gerenciar os dados muito bem elaborados. Portanto, as equipes devem falar a mesma língua, sendo assim, ter um plano de execução bem traçado se torna vital.

Esquema do ciclo da metodologia Building Information Modeling, desde a programação dos projetos, até sua demolição ou reuso de materiais.

  A possibilidade de modelar a informação desde a concepção até sua operação, gera novos parâmetros que aumentam a capacidade de decisão das equipes envolvidas no projeto. Isso, por consequência dá condições à realização de obras mais enxutas, reduzindo gastos e aumentando a sustentabilidade. Em resumo, o uso do BIM corresponde ao desenvolvimento de modelos virtuais da construção, com análise em várias dimensões, podendo variar do 3D ao 7D.

Dimensões do BIM, que variam desde o modelo 3D, até o modelo 7D.

Tipos de modelagem

  A modelagem 3D permite que se façam análises de interferência (clash detection), que otimizam a visualização do projeto como um todo e permitem a extração de quantitativos mais precisos de materiais. Enquanto no modelo 4D, o planejamento da obra é ligado ao modelo 3D, permitindo a visualização do desenvolvimento da construção antes mesmo que ela ocorra. No 5D é atrelado o fator custo aos elementos do modelo 3D, portanto, se é gerado um projeto com o nível de avanço adequado. Dessa forma, se torna possível a união dos projetos e realização de orçamentos mais precisos de forma bastante otimizada, com fácil atualização caso ocorram mudanças na construção.

Além dos modelos já citados, existem os modelos em 6D que se vinculam análises de sustentabilidade ao modelo, como análises de eficiência energética e planos de gerenciamento de resíduos. Por fim, o BIM 7D está ligado a operação do empreendimento após a obra ser concluída, possibilitando controlar manutenções de equipamentos e custos de operações. Mas ao chegarmos nesse ponto o uso do BIM se torna apenas uma parcela dos fatores que colaboram para o desenvolvimento de um edifício inteligente. Juntamente com IoT e modelos de segurança como Blockchain, será possível produzir modelos digitais dos projetos com altos níveis de complexidade e automatização. 

Modelo BIM 4D

BIM no Brasil

ROADMAP do Programa BIM BR.

   Na realidade brasileira, em maio de 2018 foi instituída, através do Decreto nº 9377, a Estratégia BIM-BR, que visa estimular a difusão e implantação do BIM no Brasil. Alguns dos principais resultados esperados por meio dessa estratégia são: aumentar a produtividade das empresas em 10%, reduzir custos em 9,7% e elevar em 28,9% o PIB da construção civil.

Fonte: Estratégia BIM-BR
   A EMAS atualmente enxerga o BIM como vital no processo de se buscar fazer projetos mais sustentáveis e de maior qualidade. Dessa forma, se torna uma das maneiras de aproximar cada vez mais as áreas da Engenharia Civil e Ambiental. Bem como, por fazer parte de um ambiente universitário, a empresa assume um papel ativo na dispersão do BIM.

Tem interesse em saber mais sobre o assunto? Visite a Plataforma BIM BR ou entre em contato conosco!

Artigos relacionados: