/, Projetos, Resíduos/Entenda qual tipo de biodigestor é a melhor solução para seus resíduos

Entenda qual tipo de biodigestor é a melhor solução para seus resíduos

A  preocupação com o meio ambiente e rigor da legislação vigente aumentam cada vez mais o interesse em diminuir os custos com descarte de resíduos e efluentes. Assim, a busca por sistemas que possam suprir essas necessidades são constantes. Dentre as opções existentes no mercado, os biodigestores aparecem como uma das melhores alternativas, tendo um ótimo um custo-benefício.

Biodigestor é um equipamento que tem como objetivo acelerar o processo de decomposição da matéria orgânica, gerando como subprodutos biogás e material digerido. Os mesmos podem ser reaproveitados na forma de calor ou eletricidade, ou mesmo como fertilizantes. Para entender melhor o funcionamento e os benefícios dos biodigestores, veja esse nosso outro texto sobre o assunto.

Porém, existem diferentes tipos de biodigestor e para que você obtenha os melhores resultados, é necessário saber qual deles melhor se adapta a sua situação. Por isso, neste texto, mostraremos as características e funcionamento de cada tipo de biodigestor para você saber qual é o mais indicado para você!

Principais tipos: Batelada x Contínuo

Com relação à frequência de operação, ou seja, os intervalos em que o sistema funciona, podemos encontrar dois tipos de biodigestores: em batelada (fluxo não contínuo) e anaeróbio tubular (fluxo contínuo).

Biodigestor tipo batelada

Funcionamento

Estes biodigestores operam de forma descontínua, ou seja, durante apenas certos intervalos de tempo. Assim, a alimentação do sistema ocorre de uma vez só a cada ciclo, com uma grande quantidade de matéria orgânica. Posteriormente, o sistema é fechado hermeticamente, ou seja, não permitindo a entrada de oxigênio, por um período de 40 a 60 dias.

A determinação deste período se dá, pois, após este tempo, quase a totalidade da matéria orgânica já foi decomposta. Isso faz com que a produção de biogás diminua e possibilita a retirada de parte do fertilizante. O ideal é deixar, ainda, 20% do material no biodigestor para garantir que, na próxima batelada, tenha biomassa suficiente a ser decomposta. Um novo ciclo se inicia após nova alimentação.

Recomendações

Em virtude dos biodigestores tipo batelada serem formados apenas pela estrutura em si da câmara de biodigestão (feita de alvenaria) e pelo  medidor de gás (gasômetro), eles são considerados um sistema simples e de fácil manutenção. Entretanto, devido a esse tipo de biodigestor não ter uma alimentação contínua, ele costuma ser utilizado apenas em locais onde há uma sazonalidade na produção de biomassa. Um exemplo é as granjas avícolas de corte, na qual o esterco é retirado apenas quando acontece a higienização.

Biodigestor em uma granja. Crédito: Cibiogás

Biodigestor tipo contínuo

Funcionamento

Diferentemente dos biodigestores em batelada, o modelo de biodigestor contínuo é alimentado sucessivamente por meio de dutos de alimentação. O biogás é removido através de tubulação localizada na parte superior, e o biofertilizante é retirado por meio de dutos de saída.

Posição no solo

Os biodigestores contínuos podem ter diferentes posicionamentos no solo. Em um sistema vertical a alimentação é feita pela parte inferior e a saída do gás na parte superior. Costuma ficar enterrado no solo requerendo maiores cuidados com a escavação, com o projeto e riscos de contaminação. Já os sistemas horizontais, cuja alimentação e saída são laterais, têm a possibilidade de serem ou não submersos. Assim, são bastante utilizados em áreas onde há a presença de lençóis freáticos, devido ao menor risco de contaminação.

Recomendações

Para esse tipo de biodigestor, a matéria orgânica deve ser de fácil degradação. Assim, é aconselhável a trituração (se possível) e diluição desse substrato. Isso evita a ocorrência de entupimento na tubulação do biodigestor e formação de crostas na parte interna do sistema.

E quais são os modelos existentes?

Ainda dentro dos biodigestores contínuos, é possível encontrar diferentes modelos. Atualmente, entre os mais utilizados destacam-se três: o Indiano, o Chinês e o Canadense.

           1. Biodigestor modelo Indiano

Características

Esse modelo apresenta como uma das suas características principais a campânula móvel, uma espécie de redoma, como medidor de gás. Ela pode estar submersa na biomassa em decomposição ou em um selo d´água externo. Ela é a responsável pela manutenção da pressão interna do sistema, podendo se expandir quando o biogás produzido não for consumido. O modelo também possui uma parede em seu centro, com o objetivo de dividir o tanque de fermentação em duas câmaras. Essa disposição que proporciona a movimentação do substrato por todo o biodigestor.

Recomendações

Apesar desse modelo ser de fácil construção, o gasômetro de metal encarece consideravelmente o custo final do equipamento. Isso pode, em alguns casos, inviabilizar a instalação do mesmo. Além disso, a matéria orgânica utilizada na alimentação desse sistema deve ter concentração de sólidos totais (ST) de no máximo 8%, para que não ocorra entupimentos na tubulação de entrada e saída do substrato.

Esquema de biodigestor indiano

Esquema funcionamento biodigestor modelo Indiano. Crédito: FONSECA et al, 2009

           2. Biodigestor modelo Chinês

Características

Este biodigestor foi inspirado no modelo Indiano, entretanto para torná-lo mais viável economicamente, foram feitas algumas modificações. Uma delas é a não utilização da campânula de metal. Assim, o sistema é construído quase totalmente em alvenaria, com teto impermeável para garantir o armazenamento do biogás.

O modelo Chinês funciona com base no princípio de prensa hidráulica, o que leva a pressão nesse biodigestor a ser variável, diferentemente do modelo Indiano. Assim, o aumento de pressão no interior, em virtude do armazenamento de biogás, levará o efluente a se deslocar da câmara de fermentação para a caixa de saída.

Recomendações

Apesar dos custos com a construção desse tipo de biodigestor serem menores do que o modelo Indiano, caso a vedação da estrutura desse sistema não seja bem projetada, poderá ocorrer vazamento de biogás para a atmosfera. Além disso, como uma parte do biogás gerado na caixa de saída é liberado para a atmosfera, o biodigestor do tipo Chinês não é utilizado em casos de instalações de grande porte.

Esquema Biodigestor Chinês

Esquema funcionamento biodigestor modelo Chinês. Crédito: FONSECA et al, 2009

           3. Biodigestor modelo Canadense

Características

Este modelo é característico por apresentar uma tecnologia mais moderna, em comparação com os anteriores. Mesmo assim, apresenta simples construção, uma vez que é praticamente todo construído utilizando material plástico.

Trata-se de um sistema horizontal, composto por uma caixa de entrada em alvenaria com a profundidade menor que a largura. Consequentemente, a matéria orgânica tem maior exposição à radiação solar. Isso gera um aumento na produção de biogás e redução no risco de entupimento do duto de entrada.

Recomendações

Este modelo utiliza materiais mais simples, como lona de PVC ao invés de campânulas metálicas. Dessa forma, aumenta sua facilidade construtiva e diminui o custo de implantação. Por esses motivos, ele acaba sendo o modelo mais aplicado no Brasil, sendo amplamente utilizado em propriedades rurais.

Esquema Biodigestor Canadense

Esquema funcionamento biodigestor modelo Canadense                                                                     Crédito: Manual de Treinamento em Biodigestão, 2008

 

Os biodigestores tem duas principais vantagens: rentabilidade econômica e tratamento adequado dos resíduos. Ao reaproveitar o biogás como energia e o fertilizante como adubo, ele torna-se uma boa forma de complementar a renda do produtor. O sistema apresenta, ainda, um ótimo custo-benefício, pois possui um custo de implantação relativamente pequeno frente às outras opções e diminui consideravelmente a carga orgânica dos dejetos gerados.

Assim, é muito essencial analisar qual o melhor tipo para cada realidade, de forma a garantir que esses benefícios ocorram. É importante, também, ter um apoio técnico de um profissional da área que projete e execute corretamente o projeto. Dessa forma, evita-se vazamentos e contaminação, além de garantir a boa operação do sistema.

Caso você ainda esteja com alguma dúvida sobre como funciona o biodigestor ou qual tipo de biodigestor é o mais indicado para você, entre em contato conosco. Será um prazer lhe ajudar!

By | 2018-04-22T18:25:21+00:00 Abril 22nd, 2018|Biodigestor, Projetos, Resíduos|0 Comentários

About the Author:

Felipe Duarte

Deixe seu comentário