/, PGRSS, Resíduos/Resíduos de Saúde: como gerenciá-los pode trazer benefícios

Resíduos de Saúde: como gerenciá-los pode trazer benefícios

A geração exagerada de resíduos sólidos (incluindo os resíduos de saúde) se caracteriza como um dos principais problemas da contemporaneidade, sendo uma consequência do processo de expansão e urbanização acelerada das cidades. O desenvolvimento urbano gera uma preocupação não somente no aumento da produção destes, mas na forma como os mesmos estão sendo gerenciados.

O manejo desses materiais, em todas suas variedades, muitas vezes não é feito de maneira adequada. Dessa forma, há um descarte incorreto, que ocasiona muitos prejuízos ao meio ambiente e à saúde pública. E, quando se fala de resíduos sólidos de saúde (RSS), os riscos tornam-se ainda mais potenciais e evidentes.

Mas por que esse tipo de resíduo possui maior risco para a sociedade?

Resíduos são gerados diariamente e eles possuem distintas características. Sendo assim, devido à complexidade de tipos dos resíduos, eles possuem algumas classificações. Vamos tomar como exemplo a NBR 10.004 – Classificação de Resíduos Sólidos – que utiliza como critério os riscos potenciais que os resíduos trazem ao meio ambiente. Essa classificação divide os resíduos em duas classes: Classe I – Resíduos perigosos; Classe II – Resíduos não perigosos.

Símbolo Resíduos Infectantes/Perigosos

Créditos: Freepik

Os resíduos de saúde pertencem à primeira classe, em função de algumas características suas como inflamabilidade, corrosividade e reatividade. Assim, necessitam de um tratamento e disposição especiais, por apresentar elevado risco à sociedade.

Alguns exemplos de resíduos de saúde são materiais contaminados (como luva, gorro, máscara e algodão). Além destes, avental de chumbo, medicamentos, revelador e fixador, agulha, bisturi e seringa usados, resíduos de cirurgia (como dentes e gengiva), lima, entre outros.

Mas o que ocorre quando não é feito um gerenciamento adequado dos resíduos?

Em relação aos riscos ambientais mais propícios, os resíduos perigosos, quando mal dispostos, podem contaminar o solo e os lençóis freáticos. Aqueles que têm em sua composição substâncias químicas muito perigosas, como metais pesados, podem ainda trazer danos irreversíveis à saúde humana.

O impacto dentro dos próprios estabelecimentos geradores, como consultórios médicos, odontológicos, e clínicas veterinárias, também pode ser muito negativo. Os funcionários podem ser contaminados/infectados, caso não utilizem os equipamentos de proteção adequados. Além disso, o local pode ficar desorganizado, passando uma imagem negativa aos pacientes. O transporte de resíduos, por sua vez, pode também atrapalhar o fluxo de pessoas.

Adicionalmente, há um alto risco de o empreendimento receber notificações ou multas e, em casos mais extremos, pode ocorrer o aparecimento de vetores e bichos peçonhentos, entre outros malefícios.

Exemplos Resíduos de Serviços de Saúde

Mas o que eu ganho gerenciando os resíduos?

Os benefícios de gerenciar melhor seus resíduos são inúmeros. Por exemplo proporcionar um ambiente de trabalho mais saudável e contribuir na divulgação do empreendimento. Além disso, o gerenciamento auxilia na responsabilidade socioambiental do estabelecimento e até pode trazer certo retorno financeiro. Confira mais sobre, a seguir:

 Menor impacto ambiental

Há diversos estudos que comprovam que os RSS não devem ser dispostos no meio ambiente sem tratamento prévio que assegure a eliminação das características de periculosidade dos resíduos. Dessa forma a preservação dos recursos naturais e o atendimento aos requisitos de qualidade ambiental e de saúde pública são favorecidos. Um gerenciamento bem executado, por exemplo, já garante que todos esses resíduos perigosos sejam enviados a locais licenciados, que darão um destino ambientalmente adequado aos mesmos. Ressaltando que, de acordo com as legislações ambientais brasileiras, é função e responsabilidade do gerador dos resíduos garantir que eles tenham uma correta disposição.

Imagem sobre preservação do meio ambiente

Créditos: Freepik

Diminuição na geração de resíduos de saúde

O gerenciamento correto dos resíduos leva os envolvidos a terem uma consciência maior do lixo produzido e suas características. Assim, de forma mais consciente e organizada, é possível que se tenha uma minimização da produção deles. E além disso, um encaminhamento seguro e eficiente, que irá proporcionar proteção aos funcionários do local.

Para isso, a etapa de segregação dos resíduos é de extrema importância em um bom gerenciamento. No momento e local de sua geração, se os resíduos forem segregados corretamente, o percurso do resíduo até a destinação final, seguindo todas as recomendações ambientais, ocorrerá de maneira muito mais efetiva.

Melhor eficiência

Um adequado gerenciamento deve possuir processos internos bem definidos. Por exemplo o horário adequado do recolhimento do resíduo, procedimentos detalhados de como tal ação deve ser realizada, o itinerário que o funcionário deve fazer até o local de armazenamento, entre outros. Esse tipo de processo resulta em uma grande otimização do tempo, pois os funcionários sabem exatamente como e quando as tarefas devem ser feitas. Dessa forma, há uma redução no tempo de execução de tarefas simples, e, assim, um ganho de tempo em outras tarefas de interesse.

Pessoa Satisfeita

Créditos: Freepik

Imagem positiva aos clientes

Esses processos bem definidos no gerenciamento têm a preocupação de que os resíduos não tenham contato com as pessoas que circulam nos estabelecimentos. Sendo assim, seu recolhimento não afetará a movimentação no local. Com toda essa organização, o empreendimento passará uma imagem muito mais positiva aos clientes.

Atualmente, as pessoas estão buscando lugares com forte apelo ambiental. Logo, utilizar o gerenciamento de resíduos como uma melhoria de imagem para atrair os clientes é um método bastante viável. Além do mais, oferecer um lugar organizado aos pacientes, que se preocupa com as questões sociais e ambientais, é um processo que beneficia na fidelização dos clientes. 

Menor custo                    

Empreendimentos que fazem o gerenciamento dos RSS conseguem, ainda, realizar certa economia ao diminuírem e otimizarem os resíduos gerados. Quando feita uma boa segregação, apenas os resíduos contaminados vão para os locais especiais. Isto reduz o custo com o transporte, tratamento e destinação final. Pode, ainda, haver lucro, dependendo do porte do estabelecimento, com a comercialização dos materiais recicláveis. Finalmente, tudo isto também evita o risco do local ser notificado e/ou multado. Quer saber como? Falamos mais sobre esse assunto neste outro texto sobre como lucrar com o lixo.

custo

Créditos: Freepik

Diante de todos estes benefícios, é possível perceber que a relevância do gerenciamento de resíduos de saúde está principalmente nos aspectos sociais e ambientais. Entretanto o próprio empreendimento ganha muito com a execução e implementação do mesmo. Os recursos gastos na elaboração do plano são retornados de maneira muito eficiente aos estabelecimentos.

Gerenciar os resíduos de forma correta é muito mais do que atender os requisitos da legislação. É analisar, planejar, cuidar e prevenir. Desse modo, precisa ser estruturado com conhecimento e consciência. Quer saber mais em como fazer um descarte de resíduos eficiente? Confira aqui 4 razões que vão te fazer repensar!

Ficou interessado em saber mais sobre o gerenciamento de resíduos de saúde? Baixe nosso ebook GRÁTIS sobre o Plano de Gerenciamento ou entre em contato conosco! Solucionaremos suas dúvidas com o maior prazer!

 

By | 2018-07-27T16:46:24+00:00 11 de fevereiro, 2018|Dicas, PGRSS, Resíduos|0 Comentários

About the Author:

Devanil Pereira

Deixe seu comentário